Jogos Olímpicos

 

As olimpíadas são o maior evento esportivo do Planeta. Realizam-se a cada quatro anos, sob a orientação do Comitê Olímpico Internacional, com sede em Lausanne, Suíça.

Até os anos 1970, os atletas olímpicos eram obrigados a aderir ao código estrito do amadorismo.

Desde 1924, realiza-se também uma versão para os esportes de inverno. A partir de 1992, os jogos de verão e os de inverno passaram a ter uma defasagem de dois anos.

O primeiro brasileiro a ganhar uma medalha de ouro olímpica foi Guilherme Paraense, em uma prova de tiro, nos Jogos de 1920, na Antuérpia. Foi também a primeira vez que o Brasil participou das Olimpíadas. A equipe brasileira tinha 25 atletas.

Mais: Tokyo 2020 e História das Olimpíadas.

 

 

Esporte

 

A maravilhosa festa de abertura da Rio 2016 (foto Roberto Castro).

 

 

Olimpiadas 2016

 

OuroO tenente-coronel Guilherme Paraense (1884-1968). Nascido em Belém, tornou-se o primeiro medalhista de ouro do Brasil, na Antuérpia (1920), Bélgica. Ele venceu a prova do revólver a 30 metros sobre silhueta humanoide em pé. O Brasil ganhou três medalhas na Antuérpia, todas em tiro. Paraense também ganhou uma medalha de bronze em tiro por equipe.

 

Nas Olimpíadas, medalhas, de qualquer cor, são vitórias. O bronze representa a consagração de todo o esforço do atleta no esporte. O ouro é uma dádiva e depende dos caprichos dos deuses do Olimpo.

A romena Nadia Comaneci, uma lenda do esporte. Primeira ginasta a conseguir um 10 perfeito em olimpíadas, repetindo-o sete vezes. Foram cinco medalhas de ouro olímpicas: três em Montreal - 1976 (geral individual, barras assimétricas e trave) e duas em Moscou - 1980 (trave e solo).

O termo ginástica tem origem grega: gumnastike, significando "exercitar-se nu". Por muito tempo, nos jogos olímpicos da Antiguidade, os atletas praticavam os exercícios despidos.

Hoje, o termo pode ser entendido como uma arte de domínio de movimentos do corpo e é usado popularmente como sinônimo de qualquer esforço físico. Antes da reforma do português dos anos 1940, escrevia-se gymnástica.

A Confederação Brasileira de Ginástica classifica seis modalidades: acrobática, aeróbica, artística, rítmica, de trampolim e ginástica para todos.

 

Vencer ou Vencer

Por favor, não repita isso.

Descartar a possibilidade de derrota é um desrespeito ao adversário e isso frequentemente é um tiro pela culatra. Além disso, não se conhece grandes atletas que não sofreram grandes derrotas. Saber lidar com a derrota é fundamental para um atleta. A derrota não deve ser entendida como tabu, mas como trampolim para futuras vitórias, daqueles que trabalham duro e não desistem de seus sonhos. Odiar a derrota, sim, desistir, nunca.

Sabe-se bem que o pugilista Rocky Marciano jamais perdeu uma luta profissional e aposentou-se sendo campeão mundial. Sabe-se menos que Rocky era modesto e não subestimava seus adversários. Sabe-se menos ainda que Rocky perdeu várias lutas como amador. Odiar as derrotas o fez buscar a excelência.

Por Jonildo Bacelar

 

Nadia Comaneci

 

 

Adhemar Ferreira da Silva (1927-2001) no salto triplo dos Jogos Olímpicos de Helsinki, 1952. Foi o segundo brasileiro a ganhar o ouro olímpico e o primeiro a ganhar duas vezes, repetindo o feito em Melbourne, 1956. Estabeleceu cinco vezes o recorde mundial do salto triplo. Ele nasceu em São Paulo, em 29 de setembro de 1927.

 

 

Mapas do Brasil e do Mundo

 

 

Copyright © Guia Geográfico - Competições nas Olimpíadas - Olympic Games.

 

 

Esportes Olimpicos

 

Atleta Olimpico

 

Esporte

 

Jogos Olímpicos

 

Tocha